O bizarro ano em que os abortos aumentaram por causa de superstição no Japão

A superstição no Japão é levada muito a sério. A partir delas, hábitos são criados e números são evitados. Se você não está levando a sério, em 1966 o número de abortos aumentaram, tudo por causa de uma superstição astrológica.

Antes de sabermos mais e para você entender como o povo japonês pode ser radical, já falamos aqui de algumas superstições mais famosas, como o terror pelo número quatro fez ele ser literalmente ignorado em elevadores, casas e estacionamentos.

1966 – o ano do hinoeuma

quadro de fertilidade japonesa
Créditos: Instituto de fertilidade de Berlim

Leia também

Conheça 7 supesrtições japonesas

Conheça as mais temidas superstições japonesas

Vai presentear um japonês? Conheça 4 presentes que você não deve dar!

A superstição no Japão do ano de 1966 tem fundamento na astrologia japonesa, o Juunishi. Hinoeuma é o ano do cavalo com elemento fogo e possui um ciclo a cada sessenta anos.

As pessoas nascidas no ano de hinoeuma são consideradas azaradas em especial mulheres. As japonesas que fazem aniversário nesse ano não conseguem casar, pois acredita-se que elas sejam perigosas também. Seu destino é permanecer solteira e serem julgadas.

Tanto é, que os casais na hora de decidir em ter filhos, quando chegam perto do ano hinoeuma optam por reforçar os métodos contraceptivos e não correr o risco.

Quem acaba engravidando por acidente, opta por fazer aborto, legalizado no Japão desde 1948. É o que mais aconteceu em 1966, o último ano do cavalo com elemento fogo.

Foram cerca de 43 abortos a cada 1,000 nascimentos registrados naquele ano. Para ter ideia como aumentou, entre os anos 1963 a 1969, a média foi de 30 abortos a cada 1,000. O mesmo aconteceu em 1846 e 1906, anos do cavalo com elemento fogo.

Apesar de um aborto apenas ser permitido por motivos palpáveis, muita gente acaba fazendo vista grossa, ainda mais quando a decisão é apoiada pelos pais, influenciados pela superstição japonesa. Não precisamos dizer que as razões também são mascaradas na hora de requisitar.

Além disso, em 1846 e 1906 o aborto era considerado crime, mas isso não impediu que ele fosse realizado, o que aconteceu foram métodos mais cruéis, com chutes na barriga de grávidas e mulheres sendo expostas ao frio extremo para perder os bebês.

O próximo ano hinoeuma e quando a superstição no Japão ficará em evidência será em 2026.

Vocês já conheciam esses dados? O que acharam? Não deixe de comentar!

Se ficou com dúvidas da veracidade destas informações, tem um artigo científico que aborda este tema, mas para ler é preciso ser membro. Clique aqui.

superstição no Japão

Comentários

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link