Teppanyaki: culinária tradicional japonesa feita na América

Teppanyaki é um icônico estilo de culinária japonesa em que o chef e o cliente estabelecem uma relação interpessoal culinária. O chef pega os pedidos de yaki (grelhados) do restaurante, prepara a comida no teppan (prato de ferro) e serve.

O chef é a estrela, junto com a atmosfera do restaurante, a equipe de serviço e outros clientes que muitas vezes dividem os assentos ao redor da mesa de ferro.

Jeito americano

Hoje, os restaurantes de teppanyaki são cada vez mais populares em todo o mundo e muito populares no Japão, Taiwan e EUA. Muitos consumidores americanos associam a rede de restaurantes Benihana ao estilo teppanyaki de culinária performática.

O fundador Hiroaki “Rocky” Aoki abriu seu primeiro restaurante na West 56th Street, na cidade de Nova York em 1964, e hoje a rede tem 77 restaurantes nos EUA, caribe, América Central e América do Sul.

A história

A data da primeira tradição do teppanyaki no Japão é complicada. Ele é visto por alguns como consequência da grelha “hibachi” (tigela de fogo) de estilo familiar, que existe há centenas de anos, mas os dois são bastante diferentes.

Teppanyaki é um estilo de cozinha bastante jovem em comparação ao hibachi, que enfatiza o desempenho na grelha para deliciar os clientes enquanto sua refeição é preparada diante dos seus olhos. Ele remonta à era japonesa do pós-guerra imediato, quando os clientes não eram japoneses locais, mas vinham de um país que amava o beisebol, a torta de maçã e os hambúrgueres grelhados.

Misono, um restaurante de teppanyaki que visitei recentemente em Kobe, se autodenomina o criador do bife de teppanyaki e dá todo o crédito ao paladar de um soldado americano.

O apelo de Misono é a história que compartilha com seus clientes sobre sua fundação. Um oficial americano entrou em uma loja de okonomiyaki (panqueca grelhada) no outono de 1945. O proprietário chamado Shigeji Fujioka, antes da guerra dirigia um café. Depois da guerra ele foi aos estaleiros e recolheu uma placa de ferro para fazer okonomiyaki.

O oficial americano achou que havia escolhido o restaurante errado. Ele achou que faltava algo na refeição e perguntou: “Ei, onde está a carne?”. Bem, isso é um pouco de licença literária, já que não sabemos realmente o que o americano disse, mas posso imaginar que ele estava em busca de algo mais familiar do que a tradicional cozinha japonesa.

Usando a mesma espátula, Fujioka engenhosamente substituiu a panqueca por bife grelhado para agradar seus clientes ocidentais. Logo, a maioria dos americanos compareceria ao divertido programa de apresentação de culinária.

Não seria exagero vincular a fundação do estilo teppanyaki Misono como parte da diplomacia culinária não oficial do Japão, definida como “a maneira mais fácil de conquistar corações e mentes é por meio do estômago”.


Leia mais:


Misono Kobe

Quando você visitar o Misono Kobe, se tiver sorte, terá as habilidades culinárias do veterano chef e gerente Kazuyuki Mototani, que preparou e serviu a minha refeição. Ele faz parte do “Movimento Teppanyaki”, onde chefs e sua clientela são especialmente treinados para se prepararem para a interação e comunicação em interações face a face.

Eles acreditam fortemente em deixar todos ao redor do teppan felizes e encantados com a qualidade da cozinha de carne bovina da melhor qualidade, bem como a forma como ela é preparada e servida.

 

Fonte: japantoday.com

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link