2ª onda do coronavírus aumentou a taxa de suicídios entre crianças no Japão

A segunda onda do novo coronavírus não fez vítimas fatais somente pela doença do COVID-19, mas também com o aumento da taxa de suicídio entre crianças no Japão. O índice também aumentou entre mulheres.

Veja aqui um pouco mais sobre a pesquisa feita pelas universidades de Hong Kong e pelo Instituto Metropolitano de Gerontologia de Tóquio.

O índice de suicídio entre crianças no Japão

O suicídio em todas as idades no Japão é um problema social. No ano de 2017 o país tinha uma das maiores taxas de suicídio do mundo, certa de 14,9 tentativas a cada 100.000 habitantes.

Sendo que o ápice do país foi no ano de 1997, quando o suicídio chegou a cerca de 45 tentativas a cada 100.000 habitantes.

Porém, o número de suicídios vem diminuindo, atingindo as menores taxas que o país já viu. Atualmente está atrás de países como França e Rússia.

Entretanto, mesmo com a relativa queda no número de suicídios nas últimas décadas, o suicídio entre crianças no país só tem aumentado. Isso se deve também ao bullying recorrente pela internet, o cyberbullying.

Além disso, outros motivos parecem ter feito com que o suicídio se tornasse cada vez mais recorrente entre crianças e também entre jovens. Com a pandemia, por mais que o número pudesse ter caído, ele vem aumentando. E isso se deve a vários fatores, veremos alguns deles a seguir.


Leia também:


O suicídios entre crianças no Japão durante a pandemia

No início da pandemia houve uma significativa queda de suicídios de maneira geral no Japão. Isso foi comemorado pelo governo. E a esperança era de que a queda continuasse mesmo diante de um problema biológico e social tão difícil pelo qual o mundo vem passando.

Mas, durante a segunda onda do novo coronavírus no país fez com que o suicídio aumentasse novamente. Segundo estudo feito pela universidade de Hong Kong e pelo Instituto Metropolitano de Gerontologia de Tóquio a queda inicial dos suicídios foi afetado por fatores como subsídios do governo, redução da jornada de trabalho e fechamento de escolas.

Essa queda entretanto reverteu-se em um aumento. No caso das mulheres, o suicídio aumento 37% entre as mulheres, aproximadamente cinco vezes o aumento entre os homens. Isso acontece porque a pandemia tende a afetar mais as mulheres no Japão, aumentando as suas obrigações enquanto mães que trabalham e também por ter aumentado o número de casos de violência doméstica.

Com relação às crianças, o estudo, com base em dados do ministério da saúde de novembro de 2016 até outubro de 2020, a pesquisa nos mostrou que a taxa de suicídio infantil aumentou 49% na segunda onda em relação aos dados iniciais do período.

A segunda onda atingiu o país entre julho e outubro de 2020 e em relação a taxa da primeira onda, aumentou em 16%. Ainda não há pesquisas sobre os suicídios em relação a terceira onda do novo coronavírus pelo qual passa o Japão no começo de 2021.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link