Governo japonês ainda usa disquetes… saiba os motivos

O governo japonês ainda faz uso de disquetes. Talvez um leitura mais novo nem faça ideia do que são disquetes, mas eles eram os primórdios dos pen drives e tinham a capacidade de armazenar pouco mais de 2 mega bites.

Assim, no máximo, alguém conseguia guardar ali alguns arquivos de textos. Hoje em dia, nem mesmo uma foto em boa resolução caberia em um disquete.

Além disso, hoje nem mesmo você consegue achar com facilidade um computador que vá ler um desses disquetes. Se cada vez estão mais raros os computadores com leitores de CDs e DVDs, imagine para achar um que leia o obsoleto disquete. Mas, parece que ainda há um lugar do mundo em que esses pedaços de plástico preto ainda sobrevivem, e é no Japão.

Afinal de contas, por que o governo japonês ainda faz uso deles mesmo em um país em que há inúmeros recursos tecnológicos?!

Entretanto, tudo isso parece, só agora, estar chegando ao fim.

O governo japonês e o uso de disquetes

Em uma coletiva de imprensa realizada em agosto de 2022, o político japonês Taro Kono revelou os resultados de uma revisão feita pela Agência Digital do Japão, a divisão do Gabinete que ele chefia, das regulamentações políticas dentro do governo japonês. O estudo descobriu que existem cerca de 1.900 portarias que exigem que o envio de pedidos ou armazenamento de dados seja em algum tipo de meio de armazenamento físico. Além de disquetes e discos ópticos, Kono diz que o estudo também encontrou regras que exigem o uso de CD-ROMs, minidiscos e fitas cassete.

Vale a pena notar que, embora o estudo tenha encontrado cerca de 1.900 casos em que essa mídia de armazenamento físico é necessária, elas não parecem ser o tipo de situação que a maioria das pessoas provavelmente encontrará em suas vidas diárias. 

Os escritórios do governo não estão pedindo às pessoas que registrem sua declaração de imposto de renda em disquetes ou registrem seu carro por meio de uma mensagem de voz gravada em fita cassete. Em vez disso, os requisitos de mídia física parecem estar relacionados principalmente a aplicativos de negócios e arquivamento do governo, com os pedidos das empresas por modernização por parte do governo sendo parte do que motivou a revisão.


Leia também:


O fim dos disquetes no governo japonês?

Para o político japonês, “essas políticas devem ser reconsideradas rapidamente”.

De acordo com ele, tais medidas não passam de requisitos antiquados. E, por conta deles, acaba-se se gerando um impedimento à implementação de sistemas online e baseados em nuvem.

Portanto, para o político japonês, é urgente que haja uma revisão dessas regulamentações e que novas sejam redigidas durante o ano e apresentadas às agências governamentais aplicáveis ​​para conformidade com o tempo em que vivemos. Ou seja, um tempo em que disquetes e fita cassetes se tornaram objetos de museus. 

Fonte: Sora News.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link