Governadora de Tóquio faz apelo para pessoas ficarem em casa

O Japão ainda está combatendo a pandemia de coronavírus e apesar das pessoas acharem que a vida segue totalmente normal, as autoridades ainda estão pedindo para que as pessoas fiquem em casa e não saiam. A governadora de Tóquio, Yuriko Koike, afirmou que a cidade está em estado crítico, segundo informações do NHK e Asahi Shimbun.

Yuriko Koike

Fiquem em casa

A governadora de Tóquio pediu que todos fiquem em casa e só saiam se realmente precisarem. O pedido veio após a confirmação de mais de 40 casos de infecção por Covid-19 na quarta-feira (25/03/20).

Esse foi o maior pico que Tóquio já registrou em apenas três dias. Ela apelou aos residentes da megalópole e maior cidade do mundo para entenderem a situação e trabalharem de casa o máximo possível durante a semana.

Ela ainda afirmou entender quem não pode ter esse privilégio dependendo do trabalho. Ainda assim, quem puder deve ficar em casa e sair apenas em emergências.

O pedido é que no final de semana ninguém saia e continuem evitando até o dia 12 de abril.

Tóquio prester a ter explosão de casos

Yuriko Koike afirmou que Tóquio está prestes a ter uma explosão de infecções. Também pediu que os japoneses que voltarem de viagens respeitem o período de quarentena de 14 dias.

Afinal, desse número de casos confirmados na quarta, uma parcela é de japoneses que voltaram de viagens e outros são de pessoas que se infectaram em um hospital onde uma enfermeira e um paciente tinham Covid-19.

Mais casos que qualquer outra região

Tóquio registrou um número recorde de infecções por três dias seguidos. A cidade se tornou o epicentro da doença no Japão com 212 casos confirmados.

Os números fizeram com que os infectologistas pedissem por medidas mais drásticas para conter a propagação na cidade.

O professor Atsuo Hamada da Tokyo Medical University afirmou que nos últimos dias, todas as pessoas que voltaram de viagens de dentro do Japão e do exterior foram diagnosticadas com Covid-19.

Se houver uma explosão de casos, os hospitais ficarão sobrecarregados e essa situação deve ser evitada a todo custo.

Mais de 1.200 casos foram reportados no Japão sem contar os 700 do navio Diamond Princess. Ao todo 45 pessoas morreram sendo 10 do cruzeiro. Quase 900 se recuperaram e deixaram os hospitais.

Leia também

Yuriko Koike pede que pessoas fiquem em casa

Comentários

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link