Como é fazer um passeio pela zona proibida de Fukushima

No dia 11 de março de 2011 um terremoto atingiu a estação nuclear de Fukushima. Além disso, um imenso tsunami de cerca de 15 metros de altura devastou várias regiões do Japão.

Em Fukushima, esse tsunami foi o responsável por acabar com os geradores da usina. Sem energia, os reatores não funcionavam mais e não havia como evitar que os núcleos radiativos de algumas  unidades derretessem. Isso fez com que a radiação fosse liberada na atmosfera.

Sendo o Japão um país que sabe o que a radiação pode provocar, por já ter aprendido com as bombas de Hiroshima e Nagasaki, a província de Fukushima foi esvaziada.

Entretanto, para nunca esquecer o terrível acidente, desde 2017, a prefeitura de Fukushima oferece um passeio por alguns locais. Nele é possível ter uma visão de todo o sofrimento e as tentativas para a recuperação do local diante desse terrível desastre.

Conheça aqui mais sobre ele.

Uma passeio pela zona proibida de Fukushima

Mesmo diante dos danos para a saúde que a radiação pode trazer, muitas pessoas sentem curiosidade em conhecer Fukushima. O mesmo acontece, por exemplo, com a curiosidade das pessoas que vão conhecer a região de Chernobyl, a cidade ucraniana em que houve um vazamento radioativo também.

O passeio por Fukushima é realizado somente com guias autorizados. Além disso, não se vai até a usina, que atualmente está sendo desativada.

O nível de radiação também é acompanhado a todo momento. E como a radiação ainda está em dispersão, ela pode variar mesmo nos locais que são considerados como descontaminados.

O passeio pela chamada zona vermelha é feito pela Rota 6. Por lá é possível ver carros abandonados e também pertences deixados para trás. Mas, muitas das ruas que dão nessa rota estão fechadas com portões de ferro e um guarda faz a vigia.

Outros lugares de Fukushima acabaram sendo destruído e muito do terreno foi retirado e coberto com lonas pretas. Assim, muita parte de lá se tornou um campo abandonado. Essa é uma medida fundamental para a descontaminação da região. Essa descontaminação pode demorar de 30 a 40 anos.


Leia também:


A zona proibida de Fukushima é segura?

Algumas regiões não são seguras pois ainda contêm níveis de radiação que são prejudiciais ao corpo humano. Por conta disso, o governo de Fukushima tem tomado algumas medidas.

Por exemplo, com o aumento extraordinário das buscas por viajar pela região, já existem placas em inglês com orientações de onde se ponde ir e onde não se pode. Isso serve para evitar que estrangeiros também acabem entrando dentro da zona de evacuação.

Porém, o espaço onde é realizado o passeio contêm índices de contaminação que não são prejudiciais para o ser humano. Mas, se aventurar em outros locais sem um guia pode por qualquer um em risco de ser contaminado e também de acabar contaminando outras pessoas.

 

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link