Aumenta número de jovens no Japão que não querem se casar: entenda os motivos

De acordo com uma pesquisa recente, a quantidade de jovens no Japão que desejam se casar caiu. O pior é que essa não é a única taxa que caiu, como também a da quantidade de filhos que as mulheres japonesas querem.

Esses são os menores índices já alcançados e causam preocupação no governo, que foi o responsável pela pesquisa.

Confira mais aqui sobre essa pesquisa.

Jovens no Japão não querem se casar

A cada cinco anos, o Instituto Nacional de Pesquisa de População e Previdência Social do governo japonês realiza uma pesquisa sobre atitudes em relação ao casamento e a filhos. Os resultados do estudo mais recente acabaram de ser divulgados e o resultado não foi muito animador para uma nação que precisa ter um número maior de crianças.

As respostas foram coletadas de 7.862 homens e mulheres solteiros com idades entre 18 e 34 anos. Quando perguntados como eles se sentem sobre a ideia de se casar, 17,3 por cento dos homens e 14,6 por cento das mulheres responderam: “Eu não tenho intenção de me casar ”, aumentos de 5,3 e 6,6% em relação à pesquisa anterior. No outro extremo do espectro, 81,4% dos homens e 84,3% das mulheres disseram “quero me casar um dia”, ambos os números mais baixos desde que a pesquisa foi realizada pela primeira vez em 1982.

A mudança mais dramática, porém, veio quando os entrevistados foram questionados sobre ter filhos após o casamento. 55% dos homens e 36,6% das mulheres sentiram que “se você se casar, você deve ter filhos”, representando uma queda de aproximadamente 20% para homens e cerca de 30% para mulheres em comparação com apenas cinco anos atrás.

Mesmo aqueles que querem filhos querem menos deles. Quando os participantes que têm um parceiro romântico com quem estão pensando em se casar foram questionados sobre quantos filhos esperam ter, a média para os homens foi de 1,91, abaixo dos 1,82 do último estudo, e para as mulheres foi de 1,79, abaixo dos 2,02, marcando pela primeira vez na história da pesquisa para o número médio desejado de crianças cair abaixo de 2.


Leia também:


Ainda há uma esperança para os jovens no Japão

Embora casamentos e nascimentos estejam em contínua tendência de queda no Japão, há algumas coisas que vale a pena ter em mente que tornam os resultados um pouco mais complexos do que apenas “os japoneses não estão interessados ​​em romance e em fazer bebês”. Como mencionado acima, a pesquisa é realizada uma vez a cada cinco anos, mas os resultados anunciados agora foram coletados em 2021, o primeiro ano completo da pandemia no Japão. Considerando que as vacinas para o coronavírus não se tornaram amplamente disponíveis até o segundo semestre de 2021, é compreensível que ainda menos pessoas do que o habitual estivessem fantasiando em se casar, visto que a vida amorosa de muitas pessoas solteiras foi suspensa durante extensas redes sociais. iniciativas de distanciamento.

Dessa maneira, quem sabe com o arrefecimento da pandemia, esses índices não melhoram.

Fonte: Sora News.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link