Uma em cada quatro mulheres japonesas tem mais de 70 anos

Na terceira segunda-feira de setembro, é celebrado o “Dia do Respeito pelos Idosos” no Japão, um feriado para celebrar aqueles que alcançaram a alta idade com um jantar e presentes. Esta é uma boa notícia para a economia em dificuldades, já que o número de pessoas em seus anos dourados que recebem presentes está atingindo novas alturas.

A população geral dos japoneses com mais de 65 anos aumentou em 300.000 este ano alcançando um recorde de mais de 36 milhões de pessoas. Para colocar isso em contexto, é cerca de um milhão a menos que toda a população do Canadá e representa cerca de 28,7% da população japonesa.

Dividindo isso por sexo, 31,6% de todas as mulheres japonesas são idosas, assim como 25,7% dos homens japoneses.

No entanto, o aumento de pessoas com mais de 70 anos foi ainda mais acentuado com 780.000 novos septuagenários desde o ano passado. Com isso, as mulheres japonesas atingiram um novo marco: uma em cada quatro mulheres japonesas agora tem mais de 70 anos. Isso significa que uma mulher japonesa agora tem mais do que o dobro de probabilidade de ter mais de 70 do que ser canhota!

Diante de tudo isso, não é surpresa que o Japão seja líder mundial em idosos. Itália e Portugal seguem com 23,3% e 22,8% de suas respectivas populações idosa.

Problemas sociais

Embora o envelhecimento não seja a pior coisa para liderar o mundo, ele representa uma série de problemas sociais que precisam ser resolvidos, de modo que muitos jovens lamentaram online sobre esses novos recordes.

“Então é por isso que não posso conhecer nenhuma mulher”

“Se a população também estivesse aumentando, isso não seria um problema, mas…. ”

“Eu me pergunto se veremos mais diferenças de idade nos casamentos…”

“Sufoque o futuro das gerações mais jovens, e esse é o segredo da longevidade”

“Ótimo, ainda mais pessoas reclamando para as empresas.”

“Então, até que idade terei que trabalhar?”

É claro que a questão mais urgente dessa população envelhecida é como sustentar suas despesas de vida e despesas médicas. Como não há jovens suficientes para pagar os planos de previdência e saúde, a única alternativa parece ser ter os idosos trabalhando até idades cada vez maiores.


Leia mais:


Como tal, a população de idosos que trabalham tem aumentado nos últimos 16 anos e este ano também atingiu um nível recorde. Este anos, 8,92 milhões de idosos ingressaram ou permaneceram no mercado de trabalho. Cerca de 77% desses trabalhadores têm empregos de tempo não integral, com pesquisas sugerindo que muitos preferem horários flexíveis de tais acordos.

Isso ainda representa apenas 13,3% da enorme população sênior total do Japão, e o governo espera expandir drasticamente essa situação até 2024. É quando a “segunda geração do baby boom”, nascida entre 1972 e 1974 chegará a velhice e elevará o número total de idosos para mais de 35% da população japonesa.

Uma idéia atual é introduzir mais e mais avatares robóticos que podem permitir que idosos façam uma variedade de trabalhos manuais sem as restrições de tempo, espaço ou habilidade física. Isso pode soar como uma solução radical de ficção científica para um problema sério, mas a tendência atual parece ser inevitável e, do jeito que está, as alternativas são poucas.

Fonte: http://soranews24.com

 

 

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link