Medicamento japonês eficaz contra o Azheimer deve ser aprovado esse ano!

Um medicamento japonês da empresa farmacêutica japonesa Eisai Co. em parceria com a farmacêutica americana Biogen Inc. provou-se em testes ser eficaz no combate aos efeitos da doença de Alzheimer. 

banner-loja

Uma das boas notícias é que o governo dos EUA já aprovou a medicação em solo americano e ela deve começar a ser comercializada em breve.

Assim, ambas empresas solicitaram ao Ministério da Saúde a aprovação do medicamento para Alzheimer que pode se tornar o primeiro disponível no Japão que trata a causa da doença e retarda a progressão dos sintomas.

Essa é uma ótima notícia e esperamos que em breve o medicamento possa se espalhar por todo o mundo e ajudar aqueles que sofrem com a doença.

Confira aqui maiores informações.

O medicamento japonês que ajuda a retardar o Alzheimer

As duas empresas esperam obter a aprovação até o final do ano, após a decisão da Food and Drug Administration dos EUA no início do mês de janeiro de 2023 ter concedido aprovação rápida. 

A Eisai disse que solicitou à Agência Europeia de Medicamentos em 9 de janeiro a aprovação para vender o medicamento na Europa. A empresa também apresentou os dados do medicamento à Administração Nacional de Produtos Médicos da China em dezembro de 2022.

Usando um anticorpo chamado lecanemab, o novo medicamento co-desenvolvido pela Eisai e pela Biogen é para o tratamento em estágio inicial da doença fatal que destrói o cérebro.

A droga remove um tipo de proteína chamada beta-amilóide, que é considerada a causa da doença. A proteína se acumula dentro do cérebro e destrói as células nervosas, disse a empresa Eisai.

A empresa disse que os ensaios clínicos demonstraram que o novo medicamento reduziu a progressão dos sintomas, como piora da memória e comprometimento do julgamento, em 27% em comparação com um placebo.

De acordo com os resultados do ensaio clínico, 12 a 17 por cento daqueles que receberam a droga apresentaram efeitos colaterais, como edema cerebral e sangramento, em comparação com um grupo que tomou placebo, mas a maioria daqueles que tiveram os efeitos colaterais sofreram apenas leve para moderar os sintomas temporariamente, disse Eisai. 


Leia também:


Espera-se que o medicamento seja caro depois que a Eisai estabeleceu seu preço nos Estados Unidos em US$ 26.500 por ano.

A Alzheimer’s Association, uma organização sem fins lucrativos com sede nos Estados Unidos, disse que 55 milhões de pessoas no mundo vivem com Alzheimer e outras formas de demência.

Uma equipe de pesquisa do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar do Japão estimou que 6,75 milhões de pessoas sofrerão de demência no Japão em 2025. Em 2014, os custos totais para pacientes com demência no país, incluindo cuidados médicos e de enfermagem, foram de 14,5 trilhões de ienes ( aproximadamente R$ 570 bilhões).

Em dezembro de 2021, um painel do ministério da saúde do Japão recusou-se a aprovar outro medicamento para a doença de Alzheimer desenvolvido em conjunto pela Eisai e pela Biogen.

Esperamos que dessa vez o sucesso do medicamento seja comprovado e que possa ajudar muitas pessoas pelo planeta.

Fonte: Mainichi.JP

Receba GRÁTIS notícias do Japão