Novembro na cultura japonesa: hora de alcançar a riqueza e o sucesso!

O mês de novembro na cultura japonesa e na cultura asiática é muito simbólico. Afinal de contas, já é um momento em q estamos nos aproximando do final do ano e quando o inverno já chegou ao país.

Assim, também há é hora de começar a se preparar para renovar as energias para um novo ciclo que começará em breve.

Dessa maneira, todo mês de novembro, nos “dias do galo” – de acordo com o zodíaco chinês – vários santuários ao redor de Tóquio hospedam Tori no Ichi, ou “Mercados do Galo”. Essa tradição, que remonta ao período Edo (1603–1868), vê os santuários cheios de vendedores que vendem kumade, que são ancinhos ornamentais que funcionam como talismãs para riqueza e sucesso.

Esses mercados continuam muito populares entre os habitantes locais, com os mais famosos atraindo centenas de milhares de visitantes. Tori no ichi marca o início da preparação para o Ano Novo. Os principais acontecem bem depois do anoitecer, então também há uma vibração do mercado noturno. Talvez você possa usar um pouco de sorte? Ou talvez você só queira conferir um festival tradicional legal. 

Novembro na cultura japonesa o Tori no ichi

Essa festividade remonta a um costume japonês: antes de adquirir um novo ancinho, quem o comprou no ano anterior se apressa em jogá-lo em uma das enormes caixas de papelão instaladas em frente à entrada do mercado.

Dessa maneira, uma das coisas a se fazer essa época do ano, e talvez uma das mais simbólicas é a compra de kumade. Os compradores, principalmente lojistas, donos de restaurantes e empresários, esperam poder acumular sorte e fortuna no próximo ano graças a esses “ancinhos da sorte”. É claro que muitas pessoas estão se aglomerando em frente aos estandes, mas você também pode ver compradores, funcionários, empresários e  até gerentes de grandes empresas japonesas no meio da multidão!

Além dos compradores, os visitantes se acotovelam nos corredores para admirar kumades de todos os tamanhos destacados pelos holofotes (o mercado fica bem mais animado à noite). Às vezes, em vez dos ancinhos, podem-se encontrar barcos (estes são os “barcos da fortuna”, takarabune , com os sete deuses da felicidade a bordo e todos os tipos de tesouros) ou vasos de bambu também decorados com elementos auspiciosos. Os preços raramente são indicados e você pode negociar o preço.

Assim, por vezes, um clamor se eleva entre as barracas coloridas: como de costume, os vendedores gritam “iyo-o” e batem palmas bem alto e ritmicamente, ao mesmo tempo que seus clientes, para comemorar a venda de um kumade. 


Leia também:


Novembro na cultura japonesa: onde aproveitar em Tóquio

Os três principais mercados de galo em Tóquio são realizados em Ōtori-jinja de Asakusa, Hanazono-jinja de Shinjuku e Ōkunitama-jinja de Fuchū. As festividades tradicionalmente começam à meia-noite, com a batida de um tambor taiko.

Fonte: Cheapo Tokyo e Jpaan Experience.

Receba GRÁTIS notícias do Japão