Rainha Elisabeth no Japão: conheça a conturbada visita da Rainha ao país

Uma das passagens mais memoráveis da Rainha Elisabeth no Japão ocorreu no ano de 1975, quando o país começava a solidificar suas bases após anos de reconstrução devido às perdas durante a II Guerra Mundial.

Vale lembrar ainda que o Reino Unido e os japoneses estavam em lados opostos. Portanto, além de tudo, essa viagem tinha um peso simbólico para a diplomacia que era enorme.

Conheça mais aqui sobre essa histórica viagem da Rainha Elisabeth e seu esposo, Philip, o Duque de Edimburgo.

Rainha Elisabeth no Japão

A viagem histórica do casal real ao Japão começou tranquilamente em 7 de maio. Foi a primeira vez que a rainha visitou o Japão, mas a história de Philip foi um pouco mais complicada.

Durante a Segunda Guerra Mundial, Philip serviu no HMS Whelp e durante agosto e setembro de 1945 – de acordo com o biógrafo real Gyles Brandreth, Philip and Elizabeth: Portrait of a Marriage – ele estava “ansioso por alguma ação contra os japoneses” antes das bombas atômicas caíram sobre Hiroshima e Nagasaki. Ainda assim, o HMS Whelp ficou tempo suficiente para testemunhar a história.

“Estando na Baía de Tóquio”, Philip lembrou muitos anos depois, “com a cerimônia de rendição ocorrendo no navio de guerra que estava a 200 metros de distância, você podia ver o que estava acontecendo com um par de binóculos. Foi um grande alívio.”

Ainda mais emocionado foi Philip ajudando a trazer prisioneiros de guerra que estavam, nas palavras de Philip, “magrecidos… eles se sentaram no refeitório. Eles estavam de repente em uma atmosfera que eles reconheceram… e então nós lhes demos uma xícara de chá. Foi uma situação extraordinária… lágrimas escorrendo pelo rosto. Eles apenas tomaram seu chá. Eles realmente não podiam falar.”

Essa memória breve, mas poderosa, era algo que Philip não estava disposto a compartilhar ao conhecer o imperador Hirohito ou qualquer um de seus associados. A ênfase de sua viagem foi as relações comerciais. Então, sempre que alguém vinha até Philip durante a visita e perguntava: “Esta é sua primeira visita ao Japão?” Philip foi conciso: “Sim”.

Hirohito também não gostaria dessa conversa. A responsabilidade do imperador pela guerra continuou a ser debatida na imprensa japonesa, perpetuada por sua própria família. 

Esses momentos embaraçosos muitas vezes apareciam na mídia sempre que o imperador se reunia com funcionários de alto escalão da Inglaterra ou dos Estados Unidos.


Leia também:


A viagem da Rainha Elisabeth no Japão e uma greve no trem

O comércio foi o tema da viagem internacional de 18 dias do casal que começou com uma conferência perto de Kingston, Jamaica, a rainha discutindo assuntos com altos funcionários do governo na Commonwealth. O casal então tirou alguns dias para si no Havaí antes de entrar em um toque de controvérsia na cidade de Hong Kong, então controlada pelos britânicos. Manifestantes pró-chineses manifestaram-se contra a visita do príncipe Philip a uma universidade, dizendo por megafones que era um “desperdício de dinheiro”.

A visita do casal real ao Japão, por outro lado, provou ser amplamente comemorada. As lojas de departamento, como a Associated Press informou na época, arrecadaram mais de US$ 10 milhões em mercadorias – medalhões, roupas, móveis e outras importações britânicas – para vender aos consumidores.

A rainha e seu marido fizeram planos em 10 de maio para viajar para Kyoto através do shinkansen – um trem-bala – mas teriam que esperar e ver se a greve seria resolvida antes de finalizar seus planos.

A greve de transporte de quatro dias, relatada pela Associated Press como planos de viagem “incapacitantes” em todo o país, terminou antes que o casal real deixasse Kyoto. O governo japonês concedeu um aumento de 14% no salário dos funcionários, muito abaixo da meta do sindicato de 30%.

Fonte: Japan Today.

Receba GRÁTIS notícias do Japão
Copy link